Managing an accelerator program? Introducing Gust for accelerators.

Read more

Managing an accelerator program? Introducing Gust for accelerators.

Read more
Global Accelerator Report 2015

#GlobalAcceleratorReport

Aceleradores de startup desempenham um papel importante no mundo da tecnologia de hoje e novos programas aceleradores são lançados quase que diariamente. De acordo com Natty Zola (TechStars, MD) tornaram-se ", uma forma comprovada a crescer rapidamente uma startup, aprendendo com os especialistas, encontrando grande orientação e se conectar a uma rede poderosa. Eles fornecem recursos que reduzem o custo de iniciar uma empresa e o capital inicial que uma equipe precisa para tirar sua empresa do chão ou para conseguir principais marcos iniciais. Eles tornaram-se a nova escola de negócios "De muitas maneiras, aceleradores tornaram-se um rito de passagem para milhares de empreendedores em todo o mundo
Este relatório da Gust e Fundacity fornece um exclusivo olhar interno para os programas de aceleração de todo o mundo. Este relatório é um acompanhamento do Relatório de Aceleradores de 2014 e seu objetivo é entender como a indústria de aceleradores tem se desenvolvido globalmente, como aceleradores são financiados e monetarizados, enquanto fornecem insights sobre a direção da indústria no futuro próximo .
Para criar este relatório, pesquisamos 836 organizações, das quais 387 se qualificaram como aceleradores e compartilharam seus dados conosco.

Montante total investido mundialmente

US$191,999,757

em 8,836 startups

por 387 programas

  • 2968

    111

    2574

    113

    1333

    62

    1295

    54

    666

    47
    Latinamerica
  • Ranking regional por investimento

      • EUA E CANADÁ

      • US$90,295,774

      • EUROPA

      • US$41,007,000

      • AMÉRICA LATINA

      • US$31,563,841

      • ASIA E OCEANIA

      • US$16,842,427

      • ORIENTE MÉDIO

      • US$12,290,715

Comparação regional

  • Quantia investida

  • Startups aceleradas

  • Programas aceleradores

EVOLUÇÃO DA INDÚSTRIA ACELERADORA

  • Novos aceleradores

  • Ano


EUA e Canadá lideram a onda de novos lançamentos do programa acelerador e atingiram seu pico em 2012. Enquanto algumas regiões atingiram o pico em 2014/2015, outros ainda não o fizeram.


RENTÁVEL OU NÃO-RENTÁVEL

Uma proporção significativa dos aceleradores não tem fins lucrativos. O Oriente Médio é a única região com uma maior participação de aceleradores sem fins lucrativos em relação aos aceleradores com fins lucrativos.

Aceleradores sem fins lucrativos geralmente não levam a equidade, e tendem a se concentrar em indústrias com um específico benefício público, como Saúde tech e EDTECH. Eles também podem se concentrar em fornecer novas oportunidades para os grupos minoritários. Eles podem ser financiados tanto de forma privada quanto pública.

MONETIZAÇÃO ATRAVÉS DA SAÍDA DE STARTUP

% de planejamento de aceleradores para monetizar através de saída de startup por região (curto e longo prazo)

    • Curto prazo

    • Longo prazo


Saídas de startups não são mais a principal fonte de receita para aceleradores. A maioria dos aceleradores dependem de fontes de receita alternativas no curto prazo, enquanto que menos de 40% , em média, fazem a longo prazo ( 12 meses e além).


% USANDO FONTES ALTERNATIVAS DE MONETIZAÇÃO

% do planejamento de aceleradores para rentabilizar através de fontes não relacionadas com a saída

    • Curto prazo

    • Longo prazo


No total , 91% dos aceleradores em todo o mundo são dependentes destes modelos alternativos de geração de receita no curto prazo, enquanto 75% deles planejam continuar dependendo deles a longo prazo .


MONETIZAÇÃO ATRAVÉS DE EMPRESAS

% do planejamento de aceleradores para rentabilizar através de parcerias corporativas ou patrocínios

    • Curto prazo

    • Longo prazo


Parcerias corporativas e patrocínios corporativos representam a maior fonte de receita alternativa para aceleradores.


SAÍDAS DE STARTUPS ACELERADORAS

Com referência aos dados acima, as saídas são definidas como fusões e aquisições e/ou ofertas públicas iniciais (IPOs) entre 01 de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2015. Além de os EUA, saídas globais ainda são eventos relativamente raros e isso explica por que os aceleradores mudaram, diversificando seu modelo de negócio.


  • 10 principais países por investimento

      • Estados Unidos

        ESTADOS UNIDOS

      • US$79,159,784

      • Chile

        CHILE

      • US$15,096,929

      • Reino Unido

        REINO UNIDO

      • US$9,992,752

      • Israel

        ISRAEL

      • US$8,707,700

      • Canadá

        CANADÁ

      • US$6,135,990

      • Austrália

        AUSTRÁLIA

      • US$5,620,000

      • Brasil

        BRASIL

      • US$5,524,320

      • Dinamarca

        DINAMARCA

      • US$4,820,000

      • Espanha

        ESPANHA

      • US$4,654,929

      • Uruguai

        URUGUAI

      • US$4,373,900

  • 10 principais países por startups aceleradas

      • Estados Unidos

        ESTADOS UNIDOS

      • 2522

      • Reino Unido

        REINO UNIDO

      • 1124

      • India

        INDIA

      • 568

      • Canadá

        CANADÁ

      • 446

      • Chile

        CHILE

      • 442

      • Israel

        ISRAEL

      • 430

      • México

        MÉXICO

      • 306

      • Brasil

        BRASIL

      • 297

      • Espanha

        ESPANHA

      • 263

      • França

        FRANÇA

      • 219

10 PRINCIPAIS ACELERADORES

Por investimento de capital

    • Estados Unidos

    500 Startups

    US$18,750,000

    Estados Unidos | Fundo privado

    • Estados Unidos

    Techstars US

    US$17.880.000

    Estados Unidos | Fundo privado

    • Mundial

    Plug and Play

    US$8,025,000

    Mundial | Fundo privado

    • Chile

    Start-Up Chile

    US$7,049,130

    Chile | Fundo público

    • Estados Unidos

    AngelPad

    US$7,000,000

    Estados Unidos | Fundo privado

    • América Latina

    NXTP Labs

    US$6,500,000

    América Latina | Fundo privado

    • Estados Unidos

    Energy Excelerator

    US$5,000,000.00

    Estados Unidos | Fundo misto

    • Dinamarca

    Accelerace

    US$4,700,000

    Dinamarca | Fundo misto

    • Mundial

    Wayra

    US$3,605,990

    Mundial | Fundo privado

    • Canadá

    Alacrity Foundation

    US$3,605,990

    Canadá | Fundo público

Você é um empreendedor?

Se inscreva

Para ser notificado quando aceleradores selecionados abrirem novas inscrições

20 PRINCIPAIS ACELERADORAS ATIVAS

Por número de startups aceleradas em 2015

    • País

    • Aceleradores

    • Startups aceleradas em 2015

    • Reino Unido
    • Entrepreneurial Spark

    • 660

    • Chile
    • Start-Up Chile

    • 250

    • Estados Unidos
    • MassChallenge

    • 218

    • India
    • iAccelerator (CIIE Ahmedabad)

    • 165

    • Mundial
    • Startupbootcamp

    • 105

    • México
    • Startup Mexico

    • 84

    • Estados Unidos
    • Tech Ranch

    • 75

    • Austria
    • IMPACT HUB Vienna

    • 74

MERCADOS COMPETITIVOS

mundial por 2016

% de aceleradores que demonstraram interesse em investir nestes mercados nos próximos 12 meses

  • Internet das coisas

    74%

  • Big data

    65%

  • Saas

    65%

  • Tecnologias aplicadas ao setor financeiro

    64%

  • Aplicativos móveis

    63%

  • Saúde

    62%

  • Comércio eletrônico

    55%

  • Educação

    53%

  • Serviços na nuvem

    50%

  • Wearables

    46%

  • Adtech

    35%

  • Analíticos de mídia social

    33%

  • Tecnologias aplicadas ao meio-ambiente

    32%

  • Drones

    30%

INSIGHTS DE LÍDERES DA INDÚSTRIA

Que fatores causaram crescimento (ou declínio) no cenário de aceleração de startup na sua região ntre 2014 e 2015?

  • Thomas Korte - Founder of Angel Pad
  • Thomas Korte

    Founder of Angel Pad (Estados Unidos)

    Existem bons e maus aceleradores em qualquer parte do mundo - nos EUA, em qualquer lugare. A questão principal é "quem pode ajudar as empresas a acelerar em um vasto mercado e criar significativas e transformadoras empresas?" Até o momento isso só aconteceu com empresas provenientes das 3 principais aceleradores do Vale do Silício. Isso pode mudar ao longo do tempo - Índia, China, Brasil, Rússia são todas grandes oportunidades ".

  • Francisco Coronel, Co- Founder NXTP LABS
  • Francisco Coronel

    Co- Founder NXTP LABS (América Latina)

    Na minha opinião, aceleradores latino-americanos têm um valor agregado diferenciado ligado ao espírito de colaboração que é transmitido aos empresários gerando um nível de relacionamento mais focado no indivíduo. Em comparação com outros aceleradores globais que se concentram mais no desenvolvimento do modelo de negócio, a cultura latina é mais social e este é o diferencial no processo de aceleração. NXTP Labs oferece uma visão sistemática, pluralista e interdisciplinar das relações entre agentes tecnológicos inovadores na América Latina. Ao empregar as melhores práticas nas respectivas indústrias, NXTP Labs ajuda a promover a cooperação e reforçar as ligações entre a região e o mundo, em um contexto onde a tecnologia se expande exponencialmente sem limites.

  • Francisco Coronel, Co- Founder NXTP LABS
  • Edwina Johnson - COO Startupbootcamp (Fintech London)
  • Edwina Johnson

    COO Startupbootcamp (Reino Unido)

    A Europa agora tem alguns dos melhores aceleradores do mundo - com a vantagem de anos de experiência, o acesso a uma associação de talento diversificado e alguns dos mercados mais avançados digitalmente para se trabalhar- apenas veja a Estônia e seu e-residência!

  • Sebastien Eckersley-Maslin - Founder and CEO BlueChilli
  • Sebastien Eckersley-Maslin

    Founder and CEO BlueChilli (Austrália)

    O relativamente árido e hostil ecossistema australiano cria startups resistentes e tendenciosa à sobrevivência e alguns predadores temíveis (como Atlassian, SEEK, Cochlear). Startups australianas estão mais focadas na validação através de receitas crescentes do que de validação através de meios de comunicação buzz ou o crescimento do usuário.

    Nosso ecossistema acelerador é mais jovem do que em outros países e trabalha com uma base de capital menor, portanto nós não temos a história detalhada que você tem quando você olha por exemplo para aceleradores americanos, porém nós temos um precoce sucesso e relativamente falando, o nosso foco nos rendimentos significará a nossa taxa média de sobrevivência em +1, +3 e +5 anos será maior do que os outros.

  • Sebastien Eckersley-Maslin - Founder and CEO BlueChilli
  • Abhishek Gupta - Head of Accelerator at TLABS
  • Abhishek Gupta

    Head of Accelerator at TLABS (India)

    Na minha opinião, o ecossistema asiático ainda está evoluindo, por isso vai ser injusto compará-lo com algo parecido como o Silicon Valley ou mercados mais maduros. Aceleradores continuam a construir o ecossistema, conselheiro de rede, anjos, conhecimento e, como resultado deste esforço, vem ocorrendo o aumento na qualidade das startups. Eu acho que agora mesmo nós somos o catalisador do ecossistema.
    A Ásia é a terra das oportunidades, com a Índia e a China liderando o trajeto. Devido aos apoios e facilidades de se começar nos dias de hoje, tem havido um aumento no número de startups. Além disso, com o governo apoiando fundos e aceleradores, há mais capital disponível. A combinação de oportunidades, grandes mercados, talento e disponibilidade de capital em si mesmo, lhe dá vantagem.

CONCLUSÃO

O modelo de acelerador foi desenvolvido e implementado pela primeira vez em 2005 pela Y Combinator nos Estados Unidos. Na última década, a indústria se expandiu e evoluiu exponencialmente. No entanto, o crescimento em larga escala e atividade da indústria de aceleradores não é exclusivo para os EUA. Hoje, aceleradores podem ser encontrados em regiões em todo o mundo. Os EUA e o Canadá ainda permanecem como líderes da indústria de aceleradores com um total de 111 aceleradores investindo US $ 90.3M em 2.968 startups. Europa, com um total de 113 aceleradores investindo US $ 41.0M em 2.574 startups, fica próxima dos EUA e Canadá. A indústria de aceleradores também está se expandindo rapidamente em regiões inesperadas, como a América Latina, onde uma mistura de capital privado e público está alimentando uma onda de startups e aceleradores .
Tradicionalmente, os aceleradores eram semelhantes aos VCs e investidores anjo, confiando no sucesso das saídas das startups para recuperar os seus investimentos financeiros e gerar lucros. No entanto, a maioria dos aceleradores em todo o mundo hoje estão explorando novas formas de gerar receita. Estes novos modelos de negócios incluem monetizar eventos, oficinas, orientação e espaço para escritório. Estas fontes alternativas de financiamento ajudam os aceleradores a manterem sua solvência antes das saídas das startups e apoiam operações de programa. No total, 91% dos aceleradores em todo o mundo são dependentes destes modelos alternativos de geração de receita a curto prazo, enquanto 75% planejam continuar dependendo deles para o longo prazo. Parcerias empresariais, que incluem execução de programas de aceleração em parceria com ou em nome de empresas, bem como patrocínio de empresas, também têm sido uma importante fonte de financiamento que suporta aceleradores antes saídas das startups e são a principal fonte de receita em alguns casos. É evidente a partir deste relatório que os aceleradores mudaram a partir de seu modelo de negócios original.
Globalmente, aceleradores estão mostrando um interesse singular nos tipos de startups eles querem trazer em seus programas demonstrando como a globalização tem levado países a focarem estritamente em limites tecnológicos semelhantes. Aceleradores estão tentando atrair mais startups com foco na Internet das Coisas. Sua esperança com este novo mercado quente é identificar startups que irão produzir o próximo grande produto ou ideia.
Dentro de apenas uma década, aceleradores tornaram-se um esteio dos ecossistemas de startups em regiões ao redor do globo. Durante esse período, os modelos de negócios de aceleradores e estratégias de crescimento continuaram a evoluir. Em linha com a popularizada metodologia Lean Startup, aceleradores também contam com o comprovado processo de construir-medida-aprendizado. Eles identificam um problema que precisade ser resolvido, desenvolvem um produto mínimamente viável para resolver este problema e começam o processo de ajuste fino do produto para que ele possa ser mais eficiente e exato. O resultado é o aumento da Accelerator 2.0
Accelerator 2.0 -. Enquanto ainda alinhado com a visão original de seu antecessor de nutrir empresas disruptivas - é diferente de várias maneiras. Estes novos aceleradores possuem um modelo de receita diversificada, muitas vezes concentrados em um vertical específico, integrar-se mais no ecossistema, e trabalhar em estreita colaboração com os governos e corporações. No próximo ano e além, será interessante ver o que os novos pivôs da indústria aceleradora mundial vai passar, conforme vai se adaptando.

O INFORME

  • 836

    Instituições contatadas

  • 504

    Respostas

  • 387

    Aceleradores

  • 58

    Países

Devido a uma atual de falta de consenso sobre a definição exata de um acelerador, era importante definir o mais claramente possível o que é um acelerador para compilar o relatório.
Usamos a seguinte definição de Miller e Bound (2011), que definem aceleradores como tendo as seguintes características: 5.
1) Um processo de inscrição aberto a todos, mas altamente competitivo
2) Prestação de investimento pré-semente, geralmente em troca de equidade.
3) Um foco em equipes pequenas e não fundadores individuais.
apoio 4) Suporte com tempo limite compreendendo eventos programados e orientação intensiva.
5) Grupos ou "classes" de startups em vez de empresas individuais.
para coletar os dados, entramos em contato com dois ou mais membros da equipe de cada organização. Nem todos os aceleradores responderam e, assim, nossos dados não estão completos. Organizações contatadas foram convidados a confirmar se elas qualificavam como um acelerador com base na definição acima. Os dados em si foram auto-relatados pelos aceleradores através de um formulário on-line. Fundacity e Gust não auditaram os dados nem solicitaram qualquer documentação suporte.

Informado por

  • Gust

Criado por Sebastien Brunet, Miklos Grof y Diego Izquierdo

Colaboradores: Julien Tubbs, David Blake, Tina Glickman, Greg Young, Zigis Switzer.

#GlobalAcceleratorReport

Gust

Inscrição com sucesso

  • Ser notificado quando aceleradores selecionados
    abrirem novas inscrições

    • Nome

    • Email

    • País

    • Mercados

      * Opcional

    • Selecione os mercados que você está interessado

Alterações salvas